Itaipu tem o melhor fevereiro de toda a história

Em fevereiro, a usina produziu 8,5 milhões de megawatts-hora (MWh). A soma da produção acumulada desde o início de janeiro passa de 17,2 milhões de MWh. Só a energia gerada em fevereiro pela usina daria para atender o Brasil por quase sete dias. Antes de 2016, o melhor fevereiro registrado por Itaipu foi em 2012.
Com a recuperação dos reservatórios das hidrelétricas, o governo federal anunciou, nos últimos dias, o desligamento das usinas termoelétricas mais caras, a partir de março. Como as usinas térmicas têm um custo de produção maior, o desligamento delas permitirá a volta da bandeira amarela nas contas de luz do consumidor brasileiro, barateando o custo final da tarifa. A previsão é de que em abril deve vigorar a bandeira verde, reduzindo ainda mais esse valor.
“Itaipu contribui de forma expressiva para dar segurança ao governo brasileiro de que as hidrelétricas conseguirão suprir a maior parte da demanda, sem utilização das térmicas mais caras”, avalia o diretor técnico executivo da usina binacional, Airton Dipp. Só neste primeiro bimestre, Itaipu colocou 2,8 milhões de MWh  a mais no mercado do que no primeiro bimestre do ano passado, quando o cenário hídrico era mais crítico. “Para nós, de Itaipu, é bom superar nossos próprios recordes, mas melhor ainda é saber que a geração maior e de forma sustentável ajuda na redução do custo da energia que o consumidor paga”, reforça o diretor.
Desde o último semestre de 2015, a produção de Itaipu continua sendo beneficiada pelo El Ñino, com mais chuvas na Região Sul do País. O superintendente de Operação da Itaipu, Celso Torino, explica que, em Itaipu, a situação hidrológica favorável é aproveitada ao máximo. “A produção da usina é maximizada com uma série de medidas relacionadas à excelente disponibilidade de suas unidades geradoras e das linhas de transmissão dos parceiros Furnas Eletrobras, ANDE e Copel, além da boa coordenação energética e elétrica entre Itaipu, Operador Nacional do Sistema (ONS) e a empresa operadora paraguaia, ANDE”.
Vertimento - Mesmo produzindo em carga máxima, em alguns momentos é preciso abrir o vertedouro para o escoamento do excedente de água não usada para a geração de energia. O vertimento torna-se um atrativo a mais para os turistas visitantes.
Meta de 90 milhões de MWh - Responsável por atender 15% do mercado brasileiro e mais de 75% do consumo paraguaio, a Itaipu tem compromisso de produzir 75 milhões de MWh, mas desde sua entrada em operação, em maio de 1984,  tem produzido acima desse volume. Para este ano, a expectativa é voltar a gerar acima dos 90 milhões de MWh, o que não acontece há dois anos.
A meta é feita com base num conjunto de fatores: cenário hidrológico positivo, condições excelentes de produção e de escoamento da energia em ambos os países, além de uma boa gestão coordenada dos recursos elétricos e energéticos, que envolve equipes internas e externas, numa grande parceria no setor elétrico do Brasil e do Paraguai.

 

Foto: divulgação
Comunicação Itaipu Binacional

Conveniados

/  ResultadoResultado  /Resultado